quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Crescem e Desconhecem



Pés de Galinha
(Bernardo Alves)

"Passei a infância toda
Achando que a minha mãe
Gostava de pés de galinha,
Comia com tanto gosto
Chupava até os ossinhos.
"Ninguém come os pés, são meus"- dizia
Toda a carne dividia
Peito, coxas e titela,
Fígado, coração e muela,
Mas os pés, os pés era só prá ela.
Depois de todos servidos,
Então sentava e comia.
Mas o tempo foi passando,
A criançada crescendo,
Os maiores trabalhando,
A vida foi melhorando.
Depois de uma infância dura
Começamos Ter fartura.
Vi minha mãe na cozinha
Tratando de uma galinha
E ao contrário de outrora
Flagrei aquela velhinha
Jogando os pèzinhos fora
Ao notar o meu espanto
Aquele coração santo
Da minha doce mãezinha
Apressou-se em explicar:
"Nunca gostei do tal do pé de galinha"
É que a carne era tão pouca,
Prá tantas bocas não dava,
E prá você não ficar triste
Eu fingia que gostava."





3 comentários:

  1. O que uma mãe é capaz de fazer pelo amor dos seus filhos
    Uma bela história minha amiga
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei a poesia e as fotos falam por si! bjs,m chica

    ResponderExcluir
  3. Oi, Roselia, emocionei-me com a sua história. Minha mãe também comia os pés. Será que era pelo mesmo motivo? Mãe é mãe e são todas iguais. Bateu uma saudade da minha!... Obrigada por me emocionar!...Bjs e felicidades!

    ResponderExcluir

Ser Mãe é padecer no Paraíso... presente incomparável de Deus...

Customizado por Meri Pellens.