terça-feira, 12 de novembro de 2013

Ano Novo feliz



Ano Bom

Ano Bom. De madrugada,
Bebê desperta e, assustada,
A vista um vulto na cama.
Que será? Que medo! E, tonta,
Eis que Bebê se amedronta,
Chora, gritam  chama, chama...

Mas, quando se abre a cortina,
Quando o quarto se ilumina,
Bebê, de pasmo ferida,
Vê que o medo não é justo
Pois a causa de seu susto
É uma boneca vestida.

Que linda! É gorda e corada,
Tem cabeleira dourada
E olhos cor do firmamento...
Põe-na no colo a criança,
E de olhá-la não se cansa,
Beijando-a a todo o momento.

Nisto a mamãe aparece,
Como bebê  lhe agradece,
Com beijos, risos e abraços!
-Porém, logo, de repente,
Diz à mamãe, tristemente,
Prendendo-a muito nos braços:

"Mamãe! Como sou ingrata!
Com tantos mimos me trata,
Tão boa, tão delicada!

Dá-me vestidos e fitas,
Dá-me bonecas bonitas,
E eu, mamãe, não lhe dou nada!...

Tolinha! (a mãe diz, num beijo)
As festas que eu mais desejo,
Ó minha filha, são estas:
A tua meiga bondade
E  a tua felicidade...
Não quero melhores festas!
(Olavo Bilac)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ser Mãe é padecer no Paraíso... presente incomparável de Deus...

Customizado por Meri Pellens.