terça-feira, 30 de julho de 2013

Momento solene com os filhos seminaristas


Bodas de Porcelana

De volta

E abelhas, asas espertas,
Com seu voo zumbidor,
Poisam trôpegas, incertas,
Pelas corolas abertas
Das parasitas em flor...

Na mata, de quando em quando,
Soa o trilar dos nambus;
E os pintassilgos em bando
As frondes sonorizando,
Gorjeiam em plena luz!

E enquanto eu sigo, enlevado
Nesta poesia sem fim,
Bem sinto, de lado a lado,
Que um trecho do meu passado
Em tudo ri para mim!

(Continua)

Paulo Setúbal)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ser Mãe é padecer no Paraíso... presente incomparável de Deus...

Customizado por Meri Pellens.