quarta-feira, 17 de julho de 2013

Duas belezas juntas


(Filho e RJ)




(lembrança do aniversário de um aninho)





Um dos presentinhos que ganhou no primeiro aninho...

Pai João

D taquaral à sombra, em solitária furna
(Para onde, com tristeza, o olhar curioso alongo)
Sonha o negro, talvez,  na solidão noturna,
Com os límpidos areais das solidões do Congo.

Ouve-lhe a noite a voz plangente e taciturna
Num profundo suspiro entrecortado e longo...
E o ronco, surdo, som, zumbindo na cafurna,
É o orucungo a gemer na cadência do jongo.

Bendito seja tu, a quem, certo, devemos
A grandeza real de tudo quanto temos!
Sonha em paz! Sê feliz! E que eu fique de joelhos

Sob o fúlgido céu, a relembrar, magoado,
Que os frutos do café são glóbulos vermelhos
Do sangue que escorreu do negro escravizado.
(Ciro Costa)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ser Mãe é padecer no Paraíso... presente incomparável de Deus...

Customizado por Meri Pellens.