terça-feira, 7 de maio de 2013

Mel x favo


Mãe:
Eu sou um favo sem mel.
Filhos:
Eu sou o mel do seu favo.

O cajueiro pequenino

Ouve, escuta, cajueiro,
OI canto que eu vou cantar,
Ao frio vento que passa,
À luz do frouxo luar.

Somos ambos pequeninos,
Vivemos ambos no chão.
Se dizes que pés meu amigo,
Eu digo - sou teu irmão.

Minha mãe, neste terreiro,
Quando eu nasci te plantou.
Criou-te com sombra e água,
Com seu leite me criou!

Fui crescendo, cajueiro,
E tu cresceste também.
O segredo que te disse,
Não o contes a ninguém.

Somos ambos pequeninos,
Queremos ambos viver.
Cresce, cresce cajueiro,
Que eu também hei de crescer.
(Gentil Braga)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ser Mãe é padecer no Paraíso... presente incomparável de Deus...

Customizado por Meri Pellens.