sexta-feira, 26 de outubro de 2012

À querida Mãe

À querida mãe que tanto nos ama e que, sem dúvida, também por nós é amada.

Seu filho,
Rafael






Para o filho que aprecia tanto as flores...

Diálogo

-Maninha, você não sabe
Onde o Brasil começou?
-Ora, sei! Foi na Bahia
Onde Cabral aportou.

-E agora, maninha, diga,
Sabem quem era Cabral?
-Cabral? Era um marinheiro
Valente de Portugal.

E sabe o que Portugal
Fez a 22 de  Abril?
-Ora sei! ... Fez bonito!
Fez-se papai do Brasil
(Martins D'Alvarez)




terça-feira, 23 de outubro de 2012

Querida Mãezinha


Querida Mãezinha,

"Quem habita na Proteção do Altíssimo
Pernoita à sombra do Onipotente, dizendo a Iahweh:
Meu Abrigo, minha Fortaleza,
Meu Deus, em quem confio!"
(Sl 91)

Também gosto muito da senhora, não se preocupe mais com "ordens" na casa, pois que vale uma casa arrumada sem a Proteção de Deus e o Amor das pessoas?
Somente desejo a sua Felicidade.
Deus e Maria estejam sempre lhe guiando, protegendo, amando.
Obrigado por tudo, mãezinha querida.
Sua bênção!
Com amor,
Seu filho,

Gabriel

Meu cavalinho
Toc, toc, toc..
Vai trotando o cavalinho
Toc, toc, toc...
Vai trotando no caminho.

Toc, toc, toc...
É valente meu cavalo!
Toc, toc, toc...
É ligeiro e pula o valo!

Toc, toc, toc..
Não se cansa de trotear.
Vai troteando morro acima,
Vai troteando sem cansar.

Morro acima, morro abaixo,
Que cavalinho ligeiro!
Vai troteando, toc, toc...
E sempre chega primeiro!

Não vendo meu cavalinho,
Cavalinho de valor!
Toc, toc, vai trotando,
Meu cavalo trotador!
(Renato Sêneca  Fleury)

sábado, 20 de outubro de 2012

Querida Mãe


Querida Mãe,

"Muitas são as aflições do justo mas o Senhor os livra de todas."

Seu filho,
Com carinho,

Gabriel

De sombrinha

Vejam-me só! Que elegância!
Em que ponta eu hoje estou
Com esta bela sombrinha,
Que o padrinho me comprou!

Andando, assim, como eu ando,
Tão elegante, de sombrinha,
Não há ninguém que me deixe
De julgar uma mocinha!

Quero que todos exclamem:
-Isso sim! Não é mentira!
Reparem bem que seus modos
São de moça pequenina!

Seguro a minha bolsinha
Como faz toda senhora!
Mas não se riam de mim
Senão daqui vou-me embora!

E quem muito há de gostar
De me ver assim vestida,
Toda catita e galante
É a mamãezinha querida!
(Francisco Viana)

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Querida Mãezinha


Querida Mãezinha,

Feliz Retiro, que Deus possa lhe dar tudo que a senhora necessita para mais um intenso período de trabalho.
Desculpe se não sou o filho que a senhora esperava.
Deus lhe retribuirá o que não posso fazer.
Sua bênção,
Seu filho,
Gabriel

Palavra da mãe:
É, em grande parte, no seio das famílias que se prepara o destino das nações.
( Papa Leão XIII )

O amigo do gato

Eu gosto do gato
Que é manso, que é bom;
Se o pelo lhe cato
Que meigo ronron!...

Se o gato me arranha,
Bem caro lhe sia.
E o pobre, se apanha,
Não chama seu pai.

Das vis ratazanas
Valente agressor,
Em troças maganas
O gato é doutor.

Se a mão não lhe estendo
Não vem nem a pau,
Só eu é que entendo
Seu doce miau.

Oh! nunca de ingrato
Ninguém me chamou:
Amigo do gato
Serei, fui e sou!

(Afonso Celso)

domingo, 14 de outubro de 2012

Mãe


Mãe,

Palavra simples que gera a vida e alimenta o amor.

Polyanna


Essa filha adora gatinhos...

A filhinha

O bebê dorme sozinho
Na sua cama enfeitada.
Parece um macio ninho
De plumas, a almofada.

Mamãe deitou com jeitinho
A criança acalentada.
Depois, bem devagarinho,
Canta e olha-a enlevada.

Que será quando crescer?
Fará muita travessura?
Custará a obedecer?

Quem sabe? a boca murmura.
-Só Deus pode responder,
Pensa ela com ternura.
(Nelson Costa)







quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Minha Princesinha



Mãe

Eu te amo muito

Polyanna

As bonecas
-Hoje fiz anos... Não sabes?
Ganhei um livro ilustrado,
Um teatrinho, uma rabeca,
Um cachorrinho ensinado,
Dez beijos... e esta boneca.
Com esta já tenho cinco...
As outras já são maiores:
Uma é loura, outra é morena;
E outra (não pensem que é preta)
É preta como uma pena
Molhada na tinta preta...
Esta é a quinta. É bem bonita!
Vestida de seda fina,
Sapatos de marroquim,
Camisa de musselina,
Rendas, veludo, cetim...
(Olavo Bilac)

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Mamãe


Mãe,

Você é o amor da minha vida.
Mamãe, você é uma serenata de amor.
Mamãe, você é tudo em minha vida.
Mamãe, você é um amor.
Mamãe, você está em meu coração.
Mamãe, você é a minha canção.
Mamãe, você é a flor que enfeita a minha vida.
Mamãe, você é a rosa e eu sou o seu botão.
Mamãe, você é a alegria do nosso lar.
Mamãe, você é do lar a doce rainha.

Sua filha,
Evelyn

Adora gatos...
A bailarina
Esta menina

tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré

mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá

mas inclina o corpo para cá e para lá.—–
Não conhece nem lá nem si,

mas fecha os olhos e sorri.—-
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar

e não fica tonta nem sai do lugar.—-
Põe no cabelo uma estrela e um véu

e diz que caiu do céu.—-
Esta menina

tão pequenina
quer ser bailarina.—-
Mas depois esquece todas as danças,

e também quer dormir como as outras crianças.
(Cecília Meireles)

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Mamãe


Mamãe:

Quero ser de prata...

Filho:

Terás muito frio...

Mamãe:

 Quero ser de água...

Filho:

Terás muito mais frio.

Mamãe:

 Borda-me em tua almofada isso sim, agora mesmo.

Rafael


Palavra da mãe:

A felicidade que dás torna-te mais feliz que a felicidade que recebes.
( Uma  mãe )




Para o filho que gosta muito de flores...

Canção do pingo d'água

Pingo d'água, pingo d'água,
Toda a noite, o dia inteiro,
Vais rolando: -tac, tac....
No mosaico do banheiro.

Eu, como tu, pingo d'água,
passo os dias a bater:
-tac, tac, tac, tac...
Para a lição aprender.

Pois mamãe diz, pingo d'água,
Que água mole em pedra dura,
-tac, tac, tac, tac...
Tanto bate até que fura.
(Martins D'Alvarez)


terça-feira, 2 de outubro de 2012

Mãe


Mãe

A Paz de Jesus!

Fiquei bem aqui.
Espero que vocês duas possam ir amanhã  pois Domingo não irei para casa.
De lá é só pegar um táxi e descer na Praça. De lá você anda só um pouco.
Vou agora para lá.
Fiquem com Deus!
Beijos e leve a Polyanna.

Rafael
Obs.: Estou rezando por vocês.


O ninho do colibri

A qualquer hora do dia
Que se procura Arabela
É quase certo encontrá-la
Ao peitoril da janela

Ah! Já sei perfeitamente
O que a detém sempre ali!
Na ipomeia do alpendre
Fez seu ninho um colibri.

Muitos colibris, em bando
Nesses raminhos floridos
Esvoaçam inconstantes,
Saudando os recém nascidos

E sabem? A pequenita
Passa o dia inteiro ali,
A tomar conta do ninho
Só por causa do Peri.

(Dulce Carneiro)





Mamãe



Mamãe,

És para mim a personificação da mãe ternura.
Guardarei tua imagem sempre comigo, porque a ti, mãe, devo muito do que sou.
Parabéns e felicidades,
Mamãe!

Quem fez o poema foi Carlos Drumond de Andrade mas quem o copiou fui eu.
Do seu filho
Rafael
P.S. Desculpa por tudo e obrigado por tudo.


Eu preparo uma canção que faço acordar os homens e adormecer as crianças.

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam e que fala como dois olhos.

Caminho por uma rua que passa em muitos países.
Se me vêem, eu vejo e saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segredo, como quem ama ou sorri.
No jeito mais natural dois carinhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas formam um só diamante.
Aprendi novas palavras e troquei outras mais belas.


Para o filho que gosta de flores...



Customizado por Meri Pellens.